segunda-feira, 17 de maio de 2010

Informações do CAGED.

Criação de empregos formais soma 305 mil e bate recorde para abril

Informações foram divulgadas pelo ministro do Trabalho, Carlos Lupi. No ano, foram abertas 962,3 mil vagas, também novo recorde histórico.
Alexandro Martello Do G1, em Brasília

"O Brasil está no caminho certo de ganho de salário real"
Ministro Carlos Lupi

O mês de abril terminou com a abertura de 305 mil postos de emprego com carteira assinada - um novo recorde para um quarto mês do ano na série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que tem início em 1992. O dado foi divulgado nesta segunda-feira (17) pelo Ministério do Trabalho.

O recorde anterior para meses de abril havia sido registrado em 2007, com a abertura de 301,9 mil postos de trabalho com carteira assinada.

Em abril de 2009, foram abertos 106,2 mil empregos com carteira assinada. Além de ser o melhor abril, o mês passado também representou o segundo melhor resultado, para todos os meses, da série histórica. O atual recorde ainda permanece sendo em junho de 2008, quando foram criadas 309,44 mil vagas.

Reposição de vagas

"Penso que houve muita contenção no ano passado e isso está fazendo com que, além do crescimento natural que o Brasil tinha, está começando a haver reposição. Há muita reposição de emprego nisso", avaliou o ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

Afirmou ainda que o Brasil parar de ter "complexo de inferioridade". "A infraestrutura chinesa é muito mais deficiente. Há muito mais miséria e muito mais necessidade do que no Brasil. O Brasil tem de continuar investindo em infraestrutura e em setores estratégicos, como saneamento e transporte. O Brasil está no caminho certo de ganho de salário real", acrescentou o ministro.

Setores

O setor de serviços foi o grande destaque na abertura de vagas em abril deste ano, com 96,5 mil vagas abertas, contra 59,2 mil no mesmo mês do ano passado. Em segundo lugar, aparece a indústria de transformação, com a criação de 83 mil postos formais de emprego em abril, contra 183 vagas em abril de 2009.

Já o comércio realizou contratações líquidas (menos demissões) de 40,7 mil pessoas em abril deste ano, contra 5,6 mil vagas abertas no mesmo mês do ano anterior. A construção civil, por sua vez, abriu 38,4 mil vagas no mês passado, na comparação com 13,3 mil no mesmo período de 2009.

Janeiro a abril

No acumulado de janeiro a abril deste ano, ainda segundo informações do Ministério do Trabalho, foi contabilizada a abertura de 962,32 mil vagas formais de emprego, o que representa, também, novo recorde histórico para este período. Para maio deste ano, ele previu a abertura de 240 mil a 280 mil novas vagas.

"Houve geração recorde em todos os meses [na comparação com o mesmo período do ano anterior]", informou Lupi, que recentemente revisou para 2,5 milhões a estimativa de criação de vagas em todo ano de 2010.

Inflação

Segundo ele, o controle da inflação tem de acontecer por meio de cortes de gastos públicos com custeio, e não em investimentos já previstos. "O brasileiro sabe que não está na hora de alimentar os gananciosos. Quem achar isso, vai perder. O trabalhador vai procurar o produto mais barato", afirmou Lupi.

Em sua visão, o crescimento do emprego é positivo para o controle da inflação. "Isso quer dizer que estamos produzindo mais, tem mais produto para vender. É bom isso acontecer. O ruim seria o crescimento da economia sem emprego. Temos de ficar de olho na inflação, mas sem fazer dela o capeta da nossa economia", concluiu.

Extraído de:

Nenhum comentário:

Postar um comentário