quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Meirelles e Bernanke enfraquecem aposta de alta nos juros em 2011

Brasil Econômico - Por Josué Leonel/Bloomberg News

As apostas em alta da taxa básica de juros em 2011 foram reduzidas após os bancos centrais do Brasil e dos Estados Unidos terem sinalizado, respectivamente, a manutenção da inflação brasileira dentro da meta e uma recuperação "mais modesta" da economia americana.

O mercado vem derrubando os juros futuros, especialmente os de vencimento mais longos, nos últimos dias.

O contrato de Depósito Interfinanceiro para janeiro de 2013 caía 3 pontos-base para 11,46% às 10h16, acumulando queda de 21 pontos- base na semana até 10h01.

A taxa para janeiro de 2012 cai 1 ponto para 11,30%, com queda de 17 pontos na semana.

A maior parte da queda dos contratos do DI ocorreu na segunda-feira (16) após declarações feitas pelo presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, em Belo Horizonte.

Ele disse que, "olhando para frente, a expectativa de inflação está em torno da meta em 2011, e na meta nos anos seguintes".

As sinalizações do BC brasileiro levaram o mercado a reduzir as apostas em mais altas de juros em 2011, disse Marina Santos, economista-chefe da Squanto Investimentos, em entrevista por telefone de São Paulo.

Para a economista, a possibilidade de uma desaceleração mais forte no exterior está fazendo o mercado considerar outras possibilidades, e até queda na Selic.

"Agora, mesmo com uma chance de apenas 10%, já se pode falar até na possibilidade de queda da Selic no próximo ano se for confirmado um cenário de atividade mais fraca no exterior", disse Marina.

Meirelles disse de madrugada na Globo News que "não podemos ficar tirando conclusões precipitadas" porque o BC "não pode sinalizar aquilo que não sabe".

"Parece que o BC mostrou uma preocupação com a reação de queda da segunda-feira, após as declarações de que a inflação estava ancorada, dado que o movimento foi muito brusco", afirmou Zeina Latif, economista sênior para América Latina do RBS Securities.

Extraído de http://www.brasileconomico.com.br/ em 19 de agosto de 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário