quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Ainda sobre a queda do Câmbio !!!



Com câmbio favorável, artigos como bacalhau ficarão até 18% mais em conta do que no fim do ano passado

O dólar fraco vai contribuir para um Natal de vendas maiores e importados mais baratos. Segundo varejistas, artigos da ceia - como o bacalhau - podem chegar às prateleiras com preços até 18% inferiores aos do ano passado.

Além de alimentos, eletrônicos e brinquedos também poderão ser encontrados com preços abaixo dos de fins de 2009.

O diretor-geral do Prezunic, Genival Beserra, estima que os produtos da rede fiquem entre 5% e 10% mais baratos no Natal, na comparação com 2009. O valor de itens como bacalhau, azeite e frutas frescas, afirmou Beserra, certamente cairão nas gôndolas do mercado. Isso porque o Prezunic já está formando os estoques dessas mercadorias, sob a influência da baixa cotação do dólar.

Panetone italiano pelo mesmo preço do nacional O Zona Sul, por sua vez, espera alta de 25% nas vendas no último trimestre, frente ao mesmo período do ano anterior.

Os vinhos da rede devem estar de 10% a 12% mais baratos; o azeite, de 15% a 18%; e o bacalhau, de 8% a 10%.

- Os panetones italianos estarão à venda por preços similares aos nacionais - disse Pietrângelo Leta, diretor do Zona Sul, acrescentando que as encomendas para o Natal foram antecipadas por causa do câmbio favorável e do bom momento da economia brasileira.

Leta acrescentou que o patamar atual do dólar ajudou na ampliação do sortimento da rede.

Tanto assim que o Zona Sul passou a trazer pela primeira vez vinhos da Nova Zelândia e ainda novos azeites gregos.

- Azeites importados que custavam de R$ 9,50 a R$ 10,50 em 2009 chegam na faixa dos R$ 8,50 - disse Leta, acrescentando que o braço de atacado da empresa, o Megabox, ampliou as encomendas de importados e prevê promoções.

Também está otimista o dono da Lidador, rede carioca de 11 lojas especializada em artigos importados para a ceia.

- Ainda não compramos os produtos, mas, com a atual situação do dólar, acredito que os preços fiquem até 20% mais baratos. É melhor para o comércio e para o cliente. Tanto que acho que vamos vender 30% mais esse ano - avaliou Joaquim Cabral Guedes.

O câmbio favorável também ampliou o volume das compras de importados - um fator que também influencia nos preços.

Na grife infantil Owoko, a importação de peças subiu 25%, em relação ao Natal de 2009. No Farinha Pura, os pedidos aumentaram em 30% e a variedade subiu 15% frente a 2009.

Extraído de www.oglobo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário