terça-feira, 28 de setembro de 2010

Aumenta otimismo das famílias com a economia

As famílias brasileiras estão mais otimistas sobre a situação econômica do país, mais propensas a consumir e menos endividadas, revela estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) com base em pesquisa realizada neste mês em 3,81 mil domicílios de 214 municípios.

De acordo com o estudo, 59,95% das famílias projetam melhora da economia nos próximos 12 meses, acima dos 58,03% registrados no levantamento de agosto. O otimismo é maior no Norte, onde 72,67% dos entrevistados apontaram expectativa que a economia atravessará melhores momentos no período de um ano. No Sudeste, as famílias com essa perspectiva representam 54,33% do total.

Para Marcio Pochmann, presidente do Ipea, os números podem ficar ainda melhores até o fim do ano, dada a entrada de recursos do décimo-terceiro salário na economia e o aumento da ocupação nas famílias. "Possivelmente vamos ter o melhor fim de ano da década." A expectativa de Pochmann é de incremento real de 5% da renda familiar no fim deste ano, na comparação com igual período de 2009, projeção que se sustenta na tendência de um número maior de pessoas empregadas.

O estudo mostra que 53,81% das famílias brasileiras veem o momento como propício para o consumo, um pouco acima dos 53,03% do mês passado. Na mesma base de comparação, o número de famílias endividadas caiu de 54,5% para 52,6%, enquanto a percepção de que a situação financeira vai melhorar daqui a um ano ficou em 77,32% neste mês, quase em igual patamar dos 77,48% de agosto.

Os números também indicam tendência de leve melhora na inadimplência, já que o percentual de famílias que dizem não ter condições de pagar dívidas atrasadas caiu de 37,8% para 36,19%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário