segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

A largada do IR

Chegou a hora de enfrentar o leão



A entrega das declarações começa na sexta-feira 01 de março e vai até 30 de abril

Softwares para a declaração do Imposto de Renda 2013 estão disponíveis a partir de hoje no site da Receita Federal. Entrega começa na sexta e vai até 30 de abril

A Receita Federal disponibiliza aos contribuintes, a partir de hoje, os softwares que serão usados para a declaração do Imposto de Renda 2013. Os brasileiros que se encaixam na faixa de rendimentos estipulada pelo Fisco para declarar o IR podem fazer o download do formulário para pessoa física por meio do portal da Receita (www.receita.fazenda.gov.br). O período para enviar o documento é entre 1º de março e 30 de abril. Quem perder esse prazo terá que pagar multa mínima de R$ 165,74 e adicional de 1% ao mês, limitado a 20% do total de imposto devido.

Neste ano, 26 milhões de brasileiros —1 milhão a mais do que no ano passado — devem declarar o IR. São obrigados a entregar a declaração aqueles que tiverem rendimentos tributáveis acima de R$ 24.556,65 durante 2012, o equivalente a R$ 2.046,38 por mês. Também devem entregar parte dos ganhos ao Leão os contribuintes com rendimento acima de R$ 122.783,25 proveniente de atividade rural, quem teve bens declarados acima de R$ 300 mil e as pessoas com rendimentos isentos — aplicações na poupança, 13º salário e prêmio de loteria — acima de R$ 40 mil.

O diretor executivo da Confirp Contabilidade, Richard Domingos, afirma que, apesar do prazo de mais de dois meses para enviar a declaração, é importante se adiantar. “O contribuinte que declarar primeiro terá prioridade na restituição. Deve receber ainda nos primeiros lotes”, afirma. Para aqueles que têm imposto a pagar, Domingos também recomenda que a entrega não seja deixada para a última hora. “A pessoa vai ter a comodidade de quitar as oito parcelas por débito em conta. Caso o formulário seja entregue em abril a primeira parcela terá que ser paga diretamente no banco”, completa.

Amerson Magalhães, diretor do Easynvest, da Título Corretora, enfatiza que deixar o preenchimento para a última hora pode resultar em dores de cabeça. “Sempre podem existir dúvidas ou o contribuinte pode perceber que não tem as informações necessárias. Então, quanto antes a pessoa começar a preparar a declaração, mais tempo vai ter para resolver esses questionamentos e correr atrás de um eventual documento que não tenha em mãos”, diz.

Com o aumento do número de contribuintes, a Receita tem investido na melhora e simplificação dos softwares. Neste ano, por exemplo, será possível importar, mediante a apresentação do código referente à prestação de contas preenchida em 2012, informações de pagamentos e deduções das declarações passadas.

Também houve mudanças nas deduções por dependentes e nos gastos com a educação. O abatimento para filhos, enteados e cônjuge, no IR 2013 poderá ser de até R$ 1.974,72. Já as despesas escolares poderão abater do imposto devido até R$ 3.091,35 por dependente ou pelo contribuinte declarante. No caso das despesas médicas, não há valor máximo para abatimento.

A proximidade do período de declaração do imposto de renda já deixa os contribuintes em alerta. É época de reunir toda a documentação referente às despesas e receitas de 2012 e ter atenção redobrada no preenchimento do formulário, sob o risco de cair na malha fina. Apesar do prazo de mais de dois meses para a entrega da declaração, no entanto, muitos dos contribuintes deixam para a última hora e acabam sem tempo e cheios de dúvidas. É o caso da secretária Nádia Figueiredo, 31 anos, e da auditora Morgana Franco, 25. “A gente fica adiando, enrolando, e quando vê já está no limite do prazo de entrega”, afirma Morgana. Segundo Nádia, parte da culpa pelo adiamento vem da dificuldade em preencher o questionário, que ela considera confuso. “As questões não são claras, principalmente na parte de imóveis. Eu sempre coloco o que eu acho que é”, diz.

Amerson Magalhães, diretor do Easynvest, da Título Corretora, enfatiza que deixar o preenchimento para a última hora pode resultar em dores de cabeça. “Sempre podem existir dúvidas ou o contribuinte pode perceber que não tem todas as informações. Então, quanto antes a pessoa começar a preparar a declaração, mais tempo vai ter para resolver esses questionamentos e correr atrás de um eventual documento que não tenha em mãos”, diz.
O assistente financeiro Mutahi Matos, 34, já aprendeu que não pode deixar para declarar os bens em cima da hora. “Sempre surge uma dúvida e a gente tem que correr atrás da resposta”, afirma. Para ele, a principal dificuldade está nos documentos necessários e na interpretação dos informes de rendimentos enviados por empresas. “Nunca sei quais são exatamente os bens que tenho que declarar”, reclama.

"O contribuinte que declarar primeiro terá prioridade na restituição. Deve receber ainda nos primeiros lotes" Richard Domingos, diretor executivo da Confirp Contabilidade
26 milhões

Brasileiros que devem apresentar  à Receita informações sobre seus rendimentos

Correio Braziliense - 25/02/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário