quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Vendas no varejo fecham 2013 com avanço de 4,3%
 Este é o menor valor em 10 anos. Em dezembro, o comércio varejista registrou queda de 0,2% nas vendas.
O volume de vendas do comércio varejista do país recuou 0,2%, enquanto que a receita nominal avançou 0,5% em relação a novembro, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Este é o primeiro resultado negativo após nove meses consecutivos na série de volume de vendas. Já a receita nominal segue evoluindo positivamente desde junho de 2012.

Em relação ao ano anterior, o volume de vendas cresceu 4% sobre dezembro de 2012 e 4,3% no acumulado do ano. No que se refere à receita nominal, a alta foi 10,7% com relação a igual mês de 2012 e de 11,9% no ano.

No comércio varejista ampliado, na série com ajuste sazonal, houve variações negativas de 1,5% no volume de vendas e de 1% na receita nominal, após dois meses de crescimento. Em relação a dezembro de 2012, tanto o volume de vendas quanto a receita registraram resultados positivos, de 2,9% e de 8,7%, respectivamente. Na comparação com o ano anterior, o volume de vendas registrou variações de 2,9% sobre dezembro de 2012 e de 3,6% no acumulado do ano. Quanto à receita nominal, as taxas foram de 8,7% e 8,9%, respectivamente.
Em dezembro, das 10 atividades pesquisadas, seis tiveram resultados negativos. O segmento de Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação teve queda de 12,6%; Móveis e eletrodomésticos registrou retração de 3,5%; as vendas no setor de Veículos, motos, partes e peças caíram 3,4%; Combustíveis e lubrificantes teve baixa de 1,2%, assim como os Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos; e por último, o segmento de Material de construção recuou 0,2%.

Os resultados positivos, por sua vez, foram observados em Tecidos vestuário e calçados, com alta de 0,7%; em Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com avanço de 0,5%; em Outros artigos de uso pessoal e doméstico, acréscimo de 0,2%; e para Livros, jornais, revistas e papelaria, com alta também de 0,2%.

Já na comparação anual, das oito atividades pesquisadas do varejo, apenas o segmento de Móveis e eletrodomésticos obteve queda 0,9%. Enquanto isso, a principal expansão ocorreu em Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria, com taxa de 12,4%;seguido por Outros artigos de uso pessoal e doméstico, com alta de 11,2%; Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação subiu 9,5%; Combustíveis e lubrificantes teve avanço de 5,7%; Livros, jornais, revistas e papelaria apresentou expansão de 3,9%; Tecidos, vestuário e calçados teve acréscimo de 3,2%; e Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, com 2,4%.
Região
Por Unidades da Federação, os resultados com ajuste sazonal para o volume de vendas apontam, na comparação mensal, apenas seis estados com variações positivas. Os acréscimos ocorreram em Rondônia, com crescimento de 1,6%; Roraima, com avanço de 1,4%; Piauí, alta de 1,3%; Santa Catarina, expansão de 1,2%; Mato Grosso, alta de 0,7%; e Paraná, avanço de 0,7%.
Já as principais quedas se estabeleceram em Tocantins, baixa de 11,9%; Mato Grosso, retração de 7,1%; Paraíba, onde a taxa caiu 5,8%; Sergipe, queda de 5,4%; e Amapá, baixa de 3,1%.
Brasil Econômico – www.brasileconomico.com.br

13/02/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário