quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Valores nas empresas muito além de bons salários

A satisfação pessoal no trabalho sempre esteve associada à um bom salário, estabilidade, políticas de promoção e status.

É claro que um bom salário é determinante para a permanência em um cargo, mas num mundo de rápidas transformações, não é só isso que deve continuar sendo levado em conta hoje.

Empresas já começam a notar a necessidade de estabelecer novos horizontes para motivar seu pessoal e evitar a perda de bons colaboradores.

No Brasil, trata-se de tema que, aos poucos, passa a integrar as agendas das áreas de recrutamento. As empresas precisam se preparar para construir e praticar, com base em uma espécie de carta de princípios, uma série de valores que faça o colaborador identificar-se com a empresa, criando no profissional um interesse natural de longa relação com aquele local de trabalho.

Quando se fala em valores, é exatamente o que a palavra ostenta na prática:

·                     Relações respeitosas;
·                     Gestores próximos dos colaboradores e vice-versa;
·                     Clareza na comunicação e na transmissão de responsabilidades;
·                     Chance de apresentar críticas e sugestões;
·                     Trabalho em equipe;
·                     Engajamento em causas comunitárias, etc.

Qualquer situação que sirva de combustível para impulsionar a dinâmica sempre motivadora das relações de trabalho e convivência por parte de todos.

Ao estar inserido numa realidade baseada em valores autênticos, o colaborador sente que pertence ao ambiente. E ao compartilhar estes valores, sente que faz a diferença. Além de desenvolver meios que o façam pensar a fundo se deve mesmo aceitar um eventual convite de outra companhia.

Nesse sentido, o grande desafio do departamento de Recursos Humanos é buscar colaboradores que tenham fit cultural.

Ou seja, encontrar funcionários alinhados aos valores que a empresa encara como um patrimônio vital de sua existência. Quando você traz uma pessoa que tem valores diferentes daqueles que a empresa prega, provavelmente essa relação não será duradoura.

Um Código de Conduta claro e efetivo pode auxiliar no incentivo e despertar o colaborador para os valores da empresa. Quando se planeja contratar alguém engajado com esses valores, o resultado positivo que este colaborador irá entregar é muito maior.

O profissional conseguirá chegar à conclusão que o trabalho é o meio, e tem um valor muito maior que o próprio resultado. Quando trabalha em uma empresa alinhada aos seus valores, o colaborador sente que está inserido em um contexto que compartilha da sua visão de mundo. Ele sente isso como algo muito maior e impactante para a empresa e para si.


2 comentários:

  1. Diante da atual situação em que o País se encontra, me pergunto!? Como será a real relação entre Gestores e colaboradores, diante da perda de direitos da classe trabalhadora. Será que os Gestores realmente se preocuparão em usar isso como a oportunidade de disputar os melhores colaboradores a partir da melhor oferta para o empregado ou partirá para o abusivo trabalho escravo!? É mestre! Hoje está complicado acreditar nas boas intenções sem ficar com certas reservas. Meu pensamento. Desculpe se não há coerência... Aceito correções...kkkk eterna aluna com vontade no saber...

    ResponderExcluir
  2. Pois é Bessy, mesmo depois de tanto tempo sem te responder nada mudou, aliás mudou sim, mas para pior e ainda temos um terremoto de ações ruins para os trabalhadores vindo por aí e enquanto isso uma avalanche de propostas hoje em período eleitoral.
    Rogério Rocha

    ResponderExcluir